domingo, 27 de janeiro de 2013

Angola - Ligações aéreas Leopoldville - Luanda


Vista aérea de Leopoldville
            Por duas ocasiões, uma em 1936 e outra em 1939, aviões da Sabena deslocaram-se a Luanda transportando comitivas governamentais e desportivas. Em cada uma dessas viagens foram fechadas malas de correio sinalizando a efeméride. Porém foram ligações aéreas ocasionais. A avião comercial em Angola era incipiente estando restrita apenas aos dois voos semanais que os aviões do Aero Clube de Angola asseguravam, um para norte até Ponta Negra e outro para sul até Moçamedes, para além de um voo semanal da SAA de Cape Town para Luanda.
Vista do centro de Leopoldville
 
            Porém a população e o tecido empresarial reivindicava por uma maior disseminação da aviação. Numa tentativa de ampliar a oferta das ligações aéreas a Associação Comercial de Luanda e a Câmara de Comércio de Leopoldville apresentaram, em Fevereiro de 1940, uma proposta às entidades governamentais no sentido de autorizarem a criação de uma carreira aérea entre as cidades de Luanda e Leopoldville. O serviço estaria a cargo dos aviões da SABENA que semanalmente transportariam passageiros, correio e encomendas. O preço de cada viagem seria de 1.200 francos com desconto de 10% nas viagens de ida e volta. O transporte de encomendas seria feito ao preço de 12 francos por quilograma.
Vista de Luanda
 
            Segundo a petição apresentada apontava-se a conveniência do estabelecimento desta ligação pelas grandes relações comerciais que já existiam entre as duas colónias, e sendo certo que elas se justificavam no passado, mais ainda se impunha atendendo à situação de guerra em que se vivia que obrigava a um maior estreitamento de laços entre elas.
            Esta vontade da população e dos proprietários esbarrava na intransigência das entidades governamentais que simplesmente ignoraram essa pretensão.
Sobrescrito publicitário da Mampeza, Limitada
 
            Um das empresas que mantinha uma forte ligação entre as duas colónias era a Mampeza, importante organização comercial portuguesa do Congo Belga e uma das maiores daquela colónia belga. O seu sócio gerente Pedro Morgado apoiante da petição para o estabelecimento da ligação aérea decidiu deslocar-se a Luanda a convite do gerente do Banco de Angola António Avelino da Silva, provavelmente numa tentativa de sensibilização das autoridades angolanas para o projecto.
Avião trimotor Marchetti SM-83 da SABENA
 
            Utilizou como meio de transporte um trimotor Marchetti SM-83, alugado à SABENA, que o conduziu de Leopoldville a Luanda no dia 7 de Fevereiro de 1940 (quarta-feira) tendo regressado a 12 de Fevereiro (segunda-feira). Fez-se acompanhar pela sua irmã Amélia Morgado, também sócia da Mampeza.
Sobrescrito circulado por via aérea de Leopoldville (06.02.1940) para Luanda (07.02.1940). Devolvido ao remetente por correio ordinário de Luanda (19.03.40) para Leopoldville (24.03.40) com trânsito por Boma (21.03.40). Pagou de porte pela devolução 0,80Ag correspondente ao primeiro porte de correio ordinário (cartas com peso até 20g) para países da África Austral (Aviso n.º 8 de 02.05.36 da Repartição Central dos CTT de Angola).
 
            Provavelmente para demonstrar a utilidade e portanto a razão da petição foi fechada mala de correio em Leopoldville para Luanda, transportada pelo avião fretado por Pedro Morgado da Mampeza. O avião aterrou na pista do Aero Clube de Angola pelas 14H00 desse dia.
            Porém as intenções ficaram por este voo solitário, fretado por uma empresa comercial, porque conforme anteriormente afirmamos, as autoridades não lhe deram provimento. Restou para a filatelia um conjunto de cartas circuladas nesse voo. Esta foi a terceira mala de correio fechada do Congo Belga para Angola desde sempre.

Bibliografia
·         Jornal “A Província de Angola”
·         Jornal “Diário de Luanda”
 

Sem comentários:

Publicar um comentário